Tecnologia Espiritual

Fonte: Google

Você, assim como eu, provavelmente, nunca ouviu a expressão: “Tecnologia Espiritual” dentro da literatura espírita, umbandista ou não. Eu pelo menos não me recordo. Se você tiver curiosidade e um pouco de paciência, vou lhe mostrar o que significa e a importância em praticarmos a Tecnologia Espiritual. Afinal, não criei essa expressão do nada, mas, com um significado, uma lógica bem profunda. Os resultados positivos para quem a praticar serão enormes: mais paz, mais saúde e maior progresso espiritual.

Mas, ao final de contas, o que é a “Tecnologia Espiritual” e quais seus enormes benefícios em nossas vidas?

Primeiro, precisamos compreender o que significa a palavra “Tecnologia”. E, segundo o Dicionário Aurélio de Português, Tecnologia é a ciência cujo objeto é a aplicação do conhecimento técnico e científico para fins industriais e comerciais.

Mas, a essência e o conteúdo que dá sustentação a expressão criada nada tem a haver com fins industriais ou comerciais. Não está sustentada por conceitos materialistas. Pelo contrário. Está banhada em valores espirituais. Então, a definição da palavra Tecnologia, de forma isolada, não se aplica ou não explica a expressão “Tecnologia Espiritual”. Precisamos então, acessar outros conhecimentos que possam legitimar essa expressão criada.

Dessa forma, vamos nos recordar sobre os períodos da evolução cronológica das ideias espíritas. O Primeiro Período, o da fenomenologia, das “mesas girantes”, foi de 1860 a 1930. O Segundo Período, de 1930 ao ano de 2.000 destinado a proliferação ou divulgação do Espiritismo e, o Terceiro Período, o qual estamos vivendo agora, de 2.000 a 2.070, denominado de Período da Maioridade das Ideias Espíritas.

Dentro deste atual período das ideias espírita, inúmeras e inegáveis experiências científicas têm comprovado o que o Espiritismo vem nos dizendo já há algum tempo. Essa parceria entre Espiritismo e Ciência tem sido motivo de comprovação de muitos ensinamentos doutrinários, não só da Umbanda, mas, de todos os segmentos espíritas conhecidos. Os valores da doutrina da Umbanda que antes eram absorvidos como conhecimentos espirituais pela esperança e pela fé raciocinada, têm hoje na prática, no plano físico, comprovações científicas inegáveis. A grande importância desse fato não se reflete de modo imediato somente no aumento de nossa fé na doutrina Umbandista, mas também de que, ao abraçarmos a Religião Umbanda, fizemos a escolha certa como um dos caminhos corretos para se obter a tão desejada evolução espiritual. Isso, por si só, já é motivo de alegrias e de certezas.

Mas, afinal de contas, quais são as experiências realizadas pela Ciência e que comprovam os valores preconizados pelo Espiritismo e que servem também para legitimar a expressão “Tecnologia Espiritual?”.

Foram, na verdade, inúmeras experiências, mas que, pela falta de espaço para escrever, irei colocar algumas, porém, não menos significativas.

Por exemplo, quando as Entidades da Umbanda nos dizem que o sentimento de Gratidão gera energias transformadoras e benéficas, pela fé raciocinada, acreditamos nisso. Porém, as experiências científicas do Dr. Emoto, um cientista japonês, congelando e fotografando os cristais d’água após submetê-las as energias do sentimento de Gratidão, demonstrou as “joias energética” nas quais se transformaram a água. E, quando ingerida, gera enormes benefícios ao organismo físico, mental e espiritual. Se algum descrente estava necessitando de alguma “prova física” dessa afirmação espiritual, esta experiência está a sua disposição.

Fontes das Imagens: Google

E, como é importante ser grato. Que enorme energia tem um simples “muito obrigado”. Como é transformador agradecer a DEUS pela vida. Agradecer pelo que tem e o que não tem. Pelos amigos, pela natureza. Agradecer até pelos problemas e mesmo pelos inimigos, os quais serão amigos fraternos um dia.

Outra experiência científica, feita por uma Universidade americana (Instituto HeartMath) estudou o coração para além de uma simples bomba que envia sangue para o nosso corpo. Descobriram que em volta do nosso coração existe um campo eletromagnético, em forma de tubo, que é o maior campo de todos os demais órgãos do nosso corpo, e que esse campo energético tem um efeito que se estende além do nosso próprio corpo, indo de 1,80 a 2,40 m.

Assim, quando as Entidades de Umbanda nos dizem que não adianta termos muita doutrina na cabeça sem que haja sentimentos no coração, temos agora uma prova física daquilo que elas nos dizem.

Baseados nessa constatação fizeram uma nova experiência com o DNA humano. Isolaram o DNA e pediram ao seu doador, que tinha sido treinado para sentir “emoções humanas coerentes” tais como amor, gratidão, apreço, compaixão, raiva, ódio, fúria, inveja para gerarem esses sentimentos. A partir de cada sentimento gerado foi medida a forma como o DNA reagiu. E o que ficou constatado é que na presença de sentimentos nobres de amor, gratidão, perdão, por exemplo, o DNA humano havia ficado extremamente “relaxado”, assumindo uma forma mais alongada. E o DNA humano quando fica “relaxado” aumenta, extremamente, a capacidade imunológica do organismo humano, evitando as pessoas de terem uma série de doenças. Isto é, elas têm mais saúde, claro.

Porém, a experiência demonstrou que o contrário também é verdadeiro. Medindo-se a forma que assumiu quando o doador possuía sentimentos de raiva, inveja, ódio e vingança, por exemplo, o DNA humano se contraiu (ficou menor, sem filamentos alongados). É como esses sentimentos negativos estivessem “desativando” pequenos interruptores psico-orgânicos, o que reduz bastante a resposta imunológica, deixando as pessoas bem mais suscetíveis a muitas doenças. São pessoas que ficam doentes com maior frequência.

Essa experiência demonstrou que as emoções humanas, boas ou ruins, provocam um efeito direto na conformação do DNA humano, seja na obtenção de mais saúde, seja deixando o indivíduo mais propenso a muitas doenças.

Em conclusão, o resultado dessa experiência em nada difere das recomendações das Entidades da Umbanda quando nos falam sobre a importância do poder positivo e dos sentimentos nobres em nossas vidas. A única diferença é que, agora, temos uma comprovação física desses efeitos.

Assim, a Ciência, com suas experiências, tornou “visível” o robusto e inquebrantável fio oculto que sempre ligou o plano físico ao plano espiritual assim como, a validade dos valores contidos nas Leis Divinas, demolindo qualquer dúvida ou contestação na qual pessoas descrentes se apegavam.

E, nesse período da Maioridade das Ideias Espíritas, a Ciência e a Espiritualidade serão inseparáveis daqui para frente e, pelos novos conhecimentos que agora temos ao nosso alcance, podemos definir com exatidão e segurança o que significa a expressão criada: “Tecnologia Espiritual”.

Porém, é necessário antes, definirmos o que é Ciência, que pode ser entendida com um conjunto de conhecimentos ou um sistema de conhecimentos adquiridos através do estudo e/ou da prática, composta de investigação e de metodologia específica para que lhe dê um corpo ordenado e lógico. A partir da construção da Ciência, pode-se desenvolver diferentes tecnologias.

Então, “Tecnologia Espiritual” é a ciência cujo objeto é aplicar, na prática, os conhecimentos doutrinários-umbandistas e científicos para fins de bem-estar e evolução do Ser Espiritual reencarnado. Mas, existindo a “Tecnologia Espiritual”, é preciso que exista o agente que irá aplicar ou ensinar o uso dessa Tecnologia o qual, podemos simplesmente nomeá-lo como “Tecnólogo Espiritual”

Assim, o “Tecnólogo Espiritual” é aquele que detém os conhecimentos doutrinários-umbandistas e científicos e que, através de metodologias específicas, ensina e ajuda, as pessoas a aplicarem, na prática, tais conhecimentos em suas vidas, ajudando-as a viverem com mais paz, saúde, mansidão, fraternidade e amor permitindo assim, uma maior evolução do Ser Espiritual reencarnado.

Como disse o Mestre JESUS: “Não entrarão no Reino dos Céus aqueles que detêm os maiores conhecimentos, mas sim, aqueles que através desses conhecimentos, produziram as obras felizes e para o bem de todos.”

O que o Mestre quis dizer é que o conhecimento doutrinário por si só pouco adianta. É necessário também que esses conhecimentos sejam colocados em prática para que, na verdade, se colha os efeitos benéficos não só a nível individual do Ser Espiritual reencarnado, mas também, ajude na evolução espiritual de toda a humanidade na qual está inserido.

O “Tecnólogo Espiritual” é exatamente esse agente que irá conectar os conhecimentos doutrinários-umbandistas com a prática desses valores com o objetivo de obter uma maior evolução da humanidade terrestre.

Não se trata de nenhum absurdo, portanto, imaginar que, em planos mais evoluídos, Espíritos mais adiantados (o Tecnólogo Espiritual) ensinem a outros Espíritos menos experientes a colocarem em prática os conhecimentos doutrinários que absorveram, visando a acelerar o seu próprio progresso espiritual.

Em síntese, vivemos reencarnados num Mundo-Escola chamado Planeta Terra, em constante aprendizado e vivendo novas experiências para que possamos nos tornar pessoas melhores do que fomos no passado. Para que isso de fato ocorra, não é suficiente termos somente grandes conhecimentos doutrinários. É necessário, também, que esses conhecimentos sejam colocados em prática para que possamos colher os seus benefícios e, assim, evoluirmos constantemente como também, a ajudarmos outros Irmãos a progredirem espiritualmente. Uma das formas de fazermos isso é praticarmos a “Tecnologia Espiritual”.