Síndrome de Guillain-Barré

Síndrome de Guillain-Barré é uma condição rara e grave do sistema nervoso, provoca fraqueza muscular generalizada o que, em casos mais graves, pode até paralisar a musculatura respiratória, impedindo o paciente de respirar, levando-o à morte. É uma doença autoimune, ocorre quando o sistema imunológico ataca as raízes nervosas e também os nervos periféricos. A condição pode ser desencadeada por uma infecção bacteriana ou viral aguda. A doença também pode ser chamada de Polirradiculoneuropatia Idiopática Aguda.

Ela se manifesta sob a forma de inflamação aguda desses nervos e, às vezes, das raízes nervosas, e pode afetar pessoas de qualquer idade, especialmente, os adultos mais velhos.

Fonte: Google

O processo inflamatório e desmienilizante interfere na condução do estímulo nervoso até os músculos e, em parte dos casos, no sentido contrário, isto é, na condução dos estímulos sensoriais até o cérebro.

Em geral, a moléstia evolui rapidamente, atinge o ponto máximo de gravidade por volta da segunda ou terceira semana e regride devagar. Por isso, pode levar meses até o paciente ser considerado completamente curado. Em alguns casos, a doença pode se tornar crônica ou recidivar.

 Sintomas

  • Dor, formigamento e dormência;
  • fraqueza muscular progressiva;
  • problemas de coordenação e instabilidade (a não capacidade de andar sem ajuda);
  • a fraqueza afeta ambos os lados do corpo, e pode piorar ao longo de vários dias.

A Síndrome de Guillain-Barré não é transmitida de uma pessoa para outra, e também não é uma doença hereditária.

 O Sistema Nervoso Periférico

O sistema nervoso periférico é a rede de nervos que se encontram fora do sistema nervoso central, incluindo os nervos motores, que o cérebro utiliza para controlar os músculos.

Na Síndrome de Guillain-Barré, o sistema imunológico (defesa natural do organismo contra infecções e doenças) ataca estes nervos, tornando-os inflamados e por conseguinte para de trabalhar. As inflamações dos nervos periféricos provocam uma sensação de formigamento, entorpecimento nos braços e pernas. Isso pode levar a sensação do formigamento e à fraqueza muscular. Às vezes, os músculos respiratórios também estão envolvidos.

Como Diagnosticar?

Nem sempre é tarefa fácil distinguir os sintomas da Síndrome de Guillain-Barré com outras desordens do cérebro e do sistema nervoso. Dois testes são normalmente utilizados para confirmar o diagnóstico. Sendo eles:

  1. estudos de condução nervosa e eletromiografia; testes que medem a função do nervo e músculo;
  2. punção lombar; onde uma pequena agulha é usada para remover uma pequena quantidade de fluido a partir do canal espinhal, posteriormente, levado para análise.

Exames de sangue podem ser solicitados, a fim de descartar outras causas possíveis.

Tratamento

O tratamento da síndrome conta com dois recursos: a plasmaférese (técnica que permite filtrar o plasma do sangue do paciente) e a administração intravenosa de imunoglobulina para impedir a ação deletéria dos anticorpos agressores. Exercícios fisioterápicos devem ser introduzidos precocemente para manter a funcionalidade dos movimentos.

Medicamentos imunosupressores podem ser úteis, nos quadros crônicos da doença.

Importante: A síndrome de Guillain-Barré deve ser considerada uma emergência médica que exige internação hospitalar já na fase inicial da enfermidade. Quando os músculos da respiração e da face são afetados, o que pode acontecer rapidamente, os pacientes necessitam de ventilação mecânica para o tratamento da insuficiência respiratória.

A Doença e o Ministério da Saúde

De acordo com o Ministério da Saúde, a rede pública (SUS) oferece gratuitamente 35 procedimentos para tratamento de Guillain-Barré, entre procedimentos diagnósticos, clínicos, cirúrgicos, de reabilitação e medicamentos. Em nota, o Ministério da Saúde disse que não dispõe do número total de casos no país em razão da doença não ser de notificação compulsória, mas afirmou que no ano passado foram registrados 65.884 procedimentos ambulatoriais e hospitalares no SUS em decorrência de Guillain-Barré. O ministério também informou que está acompanhando, junto às Secretarias de Saúde estaduais, as investigações dos fatores associados à ocorrência da síndrome e que não há, até o momento, estudos que indiquem a relação entre a doença e casos de zika ou de dengue ou chikungunya. A suspeita da ligação da SGB a essas doenças transmitidas pelo Aedes Aegypt existe em decorrência de que muitas das pessoas diagnosticadas com a doença apresentavam histórico de doença infecciosa  sistêmica em que manifestações cutâneas acompanham o quadro clínico.

Fonte: Google

Doença Autoimune em uma visão Espiritual

Não localizamos bibliografias espíritas que pudessem explicar a visão espiritual da Síndrome Guillain-Barré em específico, porém aprofundando um pouco mais o estudo, li várias matérias sobre a possível causa das doenças autoimunes, correlacionando a Autopunição, numa visão espiritual da doença; lembrando que a Síndrome de Guillain-Barré é uma doença autoimune.

Cientificamente falando, o que é bastante interessante é que as doenças autoimunes são o resultado do ataque do corpo sobre si mesmo. O corpo se comporta como se os próprios antígenos fossem vírus invasores e os ataca. Ou seja, o sistema imunológico falha e não consegue reconhecer o que é do próprio corpo ou não. Isto acontece com pessoas perfeitamente saudáveis e a medicina não consegue explicar os motivos. Atualmente, as doenças autoimunes são abordadas pela maioria dos profissionais como doenças psicossomáticas. Isso significa que elas têm a sua origem na mente e se manifestam  através do corpo.

Para melhor explicar a visão espiritual das doenças autoimunes, localizei um vídeo sobre Autopunição, com texto da  Fundação Espírita André Luiz (FEAL).  “Perdoa-te” – Joanna de Ângelis do livro “Filho de Deus”, psicografado por Divaldo Pereira Franco. https://www.youtube.com/watch?v=5-3fO0uXNN4

Para que a pesquisa ficasse mais completa e pudesse ampliar ainda mais os conhecimentos sobre a questão espiritual de forma preventiva e auxílio ao tratamento físico, localizei no ciclo de palestras gratuitas do TEO, o vídeo sobre o tema:  PERDÃO E O AUTO PERDÃO ministrada por Bianca Cirilo: https://youtu.be/YXThjQbHorA

 

Leia Mais:

Detalhes da doença no Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas do MS, Portaria SAS/MS nº 1171, de 19 de novembro de 2015. Revoga a Portaria n o 497/SAS/MS, de 24 de dezembro de 2009: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2016/fevereiro/04/Guilain-Barr—–PCDT-Formatado–.pdf

 

Fontes de Pesquisa:

https://asdoencasraras.blogspot.com/2014/01/sindrome-de-guillain-barre-ou.html

https://minutosaudavel.com.br/sindrome-de-guillain-barre-sintomas-diagnosticos-tratamentos-recuperacao-causas-e-mais/

https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/sindrome-de-guillain-barre/

https://marcoaureliorocha5.blogspot.com/2013/05/autopunicao-causas-das-doencas.html