Mediunidade de Cura

Queridos irmãos, não poderia entrar nesse assunto sem antes entendermos um pouco da forma de captação de energia, enfermidade e objetivo da cura mediúnica:

Captação de Energia 

  • Perispírito – Corpo fluídico da alma, constituído de matéria quintessenciada.
  • Duplo Etérico – Elemento transitório que desempenha a função de canal ou veículo de intercâmbio entre o perispírito e o corpo físico.
  • Corpo Carnal – Vestimenta material que a alma ajusta para poder fixar-se nos mundos escolas.

 

 Enfermidade e o Objetivo da Cura Mediúnica

Ignoramos que a maior parte das doenças do corpo tem sua origem em distúrbios agudos de ordem psíquica, pois a cupidez, a avareza, o ódio, a vingança, o ciúme, a ambição, o orgulho e outros tóxicos de ordem moral são matriz de moléstias como o câncer, tuberculose e outras.

As variadas províncias celulares sofrem o impacto constante das radiações mentais a lhes absorverem os princípios de ação e reação desse ou daquele teor, pelos quais os processos da saúde e da enfermidade, da harmonia e desarmonia são associados e desassociados, conforme a direção que lhes imprima a vontade.

O alívio, o reajuste físico, ou as curas conseguidas por intermédio da faculdade mediúnica tem por objetivo principal sacudir o ateísmo do enfermo, despertando o entendimento para os ensinamentos da vida espiritual.

A mediunidade de cura mediante o espiritismo, em sua profundidade, é uma cooperação de objetivo Crístico, condicionada à Evangelização do homem, despertá-lo para os deveres e responsabilidades do Espírito Imortal.

Médiuns Curadores

Os médiuns curadores são pessoas que têm a faculdade de curar apenas pela prece, toque, sopro, imposição de mãos, olhar ou gestos sem a utilização de medicamentos, sendo intermediário ou mediano de Espíritos na cura das doenças.

Franz Anton Mesmer, médico que estudou o magnetismo no final do século 18 afirmou que “…médiuns curadores começam por elevar sua alma a Deus e fazem, por isto mesmo, um ato de humildade, de abnegação e Deus lhes envia poderosos socorros como recompensa. Esse socorro que envia são os bons Espíritos que vêm penetrar o médium de seu fluido benéfico, que é transmitido ao doente. Também é por isto que o magnetismo empregado pelos médiuns curadores é tão potente e produz essas curas qualificadas de miraculosas, e que são devidas simplesmente à natureza do fluido derramado sobre o médium. Ao passo que o magnetizador ordinário se esgota, por vezes, em vão, a fazer passes, o médium curador infiltra um fluído regenerador pela simples imposição das mãos, graças ao concurso dos bons Espíritos.”

Não podemos confundir mediunidade de cura com magnetização. A magnetização é um tratamento contínuo, regular e metódico; ao passo que a cura realizada por um médium curador ocorre espontaneamente e de forma instantânea.

O médium curador consegue exercer com a sua ação curativa uma cura eficaz, mais ou menos rápida ou, pelo menos, a interrupção do curso da doença. Esta é a grande diferença do médium curador para o médium comum.

O médium de cura às vezes é assolado por dores, pois sente as dores de pessoas que estão no mesmo local onde se encontra, ou de pessoas que procuram atendimento. É uma característica muito comum aos curadores, que identificam o local a ser tratado, pois sentem em si mesmos as dores e sintomas das enfermidades. Na mediunidade de cura, há médiuns que agem mais eficazmente em certas doenças, e em certos órgãos do que em outros.

Os médiuns curadores que praticam as leis sagradas que o Espiritismo ensina, com desinteresse e humildade, se aproximam de Deus. A doçura constante que Jesus Cristo, nosso maior exemplo, ensinou com submissão à vontade de seu Pai e a perfeita abnegação, são os mais belos modelos da vontade que se possa propor na cura.

 

Preparação de um Médium de Cura

A preparação de um médium de cura, se faz pela ordem física, mental e espiritual, vou citar alguns exemplos mínimos na preparação mediúnica:

Física -> Se o médium não tem saúde, não pode dar a outrem. O exercício de respiração, respirar lentamente para permitir a perfeita combustão do sangue nos pulmões. Boa alimentação é o primeiro passo, abster-se de carne pesada e condimentos muito apimentados. Chocolate também é contrário aos bons fluidos.

Mental -> Sem uma moral à prova das tentações inferiores, não pode em absoluto, haver um bom médium. O médium está na obrigação de trilhar a senda evangélica por pensamento, palavras e obras.

Espiritual -> O médium curador prepara-se espiritualmente pela reforma moral, reajustando os bons sentimentos.

 

Cirurgias Espirituais

Existem dois tipos de cirurgias: as que são realizadas à distância e as diretas, com a presença do paciente enfermo.

No caso de operações diretas, os técnicos desencarnados utilizam o ectoplasma do médium de fenômenos físicos, e também os fluidos nervosos emitidos pelas pessoas presentes, e esta aglutinação polarizada sobre o enfermo presente possibilita resultados mais eficientes e imediatos.

Em tais casos à distância, os técnicos siderais operam no perispírito dos enfermos, e o duplo etérico se encarrega de transmitir para o corpo físico todas as reações específicas da interação processada naquele.

Pelo fenômeno de repercussão vibratória manifesta seus efeitos lenta e gradualmente no corpo de carne.

Os espíritos servem-se dos instrumentos operatórios do vosso setor utilizando a substância astralina do seu ambiente próprio, usam os moldes ou duplo etéricos das ferramentas adotadas pelos médicos terrenos. Todos os objetos ou seres possuem seu molde ou duplo astral.

Os espíritos operadores desmaterializam as ferramentas dos médicos terrenos, e manuseando as matrizes etéricas das mesmas operam o corpo perispiritual na parte que se apresenta afetada.

A intervenção na matriz perispiritual leva tempo para corrigir as deformações nos órgãos afetados em sua contraparte carnal.

 

A cura pelos métodos espirituais

Médiuns incorporados -> O espírito quando opera incorporado no médium é sempre auxiliado por companheiros experimentados na mesma tarefa, os quais cooperam e ajudam no controle da intervenção cirúrgica.

Os médicos desencarnados trocam opiniões e antecipadamente examinam as anomalias dos enfermos a serem operados. Entidades experimentadas na ciência química preparam os fluidos anestesiantes e cicatrizantes e depois o transferem do mundo oculto para o mundo físico conforme o necessário.

O Sopro -> também chamado de Sopro Curador, divido em:

Quente – empregado contra queimaduras, atuando como estimulante, cicatrizante, descongestionante.

Frio – Para a ação dispersiva, acúmulos de fluidos, principalmente nos estados congestivos, depressão nervosa, vertigens e colapsos cardíacos, atuando como calmante revigorante, dispersador de fluidos.

O passe pelo sopro quente é transmitido pela boca, assoprasse com o ar aquecido do estômago sobre o local ou toda a pessoa doente, como no gesto de quem deseja aquecer as mãos atacadas pelo frio.

O passe pelo sopro frio consiste no assoprar-se com o ar vindo dos pulmões, é gesto natural do homem e é de ação dispersadora dos maus fluidos.

Este trabalho requer conhecimento profundo no manejo de fluidos, moral muito elevada e assistência espiritual enobrecida nos exemplos evangélicos.

Hálitos impregnados de fluidos viciados pelo álcool, fumo, vapores de condimentação e molhos apimentados não se prestam para fins terapêuticos do sopro.

Se o que entra pela boca, sem o necessário cuidado de seleção contamina o sopro, que diríamos então da boca que não se resguarda de palavras de baixo calão que criam nuvens escuras em torno de sua aura e as irradia para o próximo… É preciso conservar a pureza da boca e a santidade das intenções

É imprescindível que o homem possua estômago sadio, boca habituada a falar BEM, com abstenção do mal e a mente reta interessada em auxiliar.

  

Os impedimentos que não permitem a cura

A perfeição das leis cósmicas não permite curar externamente quem não quer curar-se internamente.

Poses mentais descontroladas dificultam a análise perispiritual, o diagnóstico fica comprometido.

Vícios desregrados destroem as possibilidades de êxito do além, pois tornam o perispírito sujo e oleoso que formam uma cortina opaca, intransponível.

Vibrações balsamizantes conseguem acalmar o sofrimento do enfermo, porém, em nenhuma hipótese evitarão que se processe o determinismo da Previdência Divina quanto a sua vida ou morte.

Quando cada um de nós transforma-se em livro atuante e vivo de lições para quantos nos observam o exemplo, as fronteiras da interpretação religiosa cederão lugar a nova era fraternidade e paz que estamos esperando.

 

Obras consultadas:

Mediunidade de Cura – Ramatis

Mecanismos da Mediunidade – André Luis

Curas e passes espirituais – Wenefledo

Estudando a mediunidade – Martins Peralva