Entrevista: Flávia Barros

Olá, queridos irmãos!
É com muita felicidade no coração que retornamos para este trabalho tão bonito! Que possamos sempre seguir a luz do nosso Divino Pai Oxalá.
E, para este retorno, escolhemos fazer uma pequena homenagem à casa que a muitos acolhe em seus 11 anos de existência comemorados neste mês de Abril de 2018. E, para tal, convidamos D. Flávia Barros, dirigente do Templo Estrela do Oriente juntamente com o seu marido, o sr. Luis Fernando Barros, para uma pequena entrevista, onde ela conta em algumas linhas um pouco do percurso desta casa tão abençoada.

Primeira sessão de praia em 22/04/2007

1) Folha da Jurema: Como foi o seu primeiro contato com a Umbanda?
Flávia Barros: Foi quando eu tinha mais ou menos 15 anos e já tinha um relacionamento com o Luís Fernando. Nós tínhamos um amigo em comum, e ele trabalhava com o Caboclo Folha Seca na sua residência. Eu ia com o Luís Fernando na casa dele e lá ele me deu as primeiras orientações quanto à parte espiritual, pois eu possuía todos os sintomas e não sabia nem do que se tratava. Ele, então, foi me orientando e me desenvolvendo.

2) FJ: Em que momento a senhora recebeu a designação de abrir o TEO?
FB: Eu passei quase 20 anos no Templo A Caminho da Luz e, quando saí, fui para o Templo A Caminho da Paz, e depois de quase 2 anos nessa casa, a Cabocla Jurema da Praia nos deu a recomendação para que nós abríssemos a sua casa. Agradecemos ao Templo A Caminho da Paz, ao dirigente, e fomos em busca da orientação maior da Cabocla Jurema da Praia para que nós pudéssemos dar este passo. Buscamos o imóvel e a partir daí começamos a receber todas as orientações.

Gira de inauguração do imóvel atual em 22 de abril de 2008.

3) FJ: Qual foi a maior dificuldade em fazê-lo?
FB: Eu sempre fui muito obediente e sempre confiei na espiritualidade. Então, a maior dificuldade foi, realmente, nós conseguirmos o imóvel e realizar toda a obra e tudo aquilo que era necessário para que pudéssemos começar os trabalhos. Com relação à parte espiritual, eu apenas cumpri com todas as orientações da Cabocla Jurema da Praia. Não tive nenhum tipo de dificuldade com isso, já que eu estava seguindo fielmente tudo aquilo que me foi orientado.

4) FJ: Quais entidades, além da D. Jurema, foram fundamentais para a abertura da casa?
FB: Toda a cúpula espiritual: o Caboclo Sete Estrelas do Oriente, Vovó Catarina das Almas e toda a espiritualidade que carregamos. Todas foram fundamentais para que pudéssemos seguir esse caminho além, claro, de todas por onde passamos, como no Templo A Caminho da Luz, através do Caboclo da Lua; o Caboclo Folha Seca, que foi quem me iniciou; e também o Pai Cipriano das Almas. Cada um tem a sua importância dentro da nossa caminhada. Foi através delas que nós recebemos as orientações iniciais. Acho importante que possamos lembrar sempre e assim o fazemos, reverenciando a todas elas.

5) FJ: Em grande parte das casas, percebemos que elas tratam-se com linhas de trabalho específicas: Umbanda Branca, Esotérica, Cruzada etc. O TEO se classifica de alguma forma dentro destas características?
FB: Eu não enquadro a Umbanda que nós praticamos em nenhum desses tipos pois eu acho que Umbanda é Umbanda. Não classifico o TEO com nenhum rótulo. É Umbanda e ponto!

6) FJ: Nestes 11 anos de fundação no plano terreno, centenas de médiuns já passaram pela casa. Algumas dezenas se mantêm no trabalho, outros seguiram caminhos distintos. De que forma a senhora acredita que o TEO influenciou na vida de todos eles?
FB: A casa pode ter influenciado porque nós conseguimos desmistificar muita coisa com relação à parte espiritual através do curso a Umbanda Sem Fronteiras e de todos os estudos que são realizados aqui na casa. Acho que a pessoa consegue abrir a sua mente e seguir em frente na sua caminhada, buscando a orientação da própria espiritualidade que carrega. Todos aqueles que fazem o curso têm condições de seguir seu caminho, trabalhando e se permitindo a orientação da própria espiritualidade que carregam.

Batizado com Vovó Catarina das Almas em 22 de outubro de 2017.

7) FJ: O TEO possui inúmeras palestras mensalmente. Como a espiritualidade indicou o aprimoramento de cada indivíduo na casa através dos estudos?
FB: Desde quando nós iniciamos aqui na casa, D. Jurema da Praia sempre falou que teria que ser uma casa de estudos. Como falei anteriormente, nós somos e sempre seremos muito obedientes. Ordem dada é ordem cumprida. Então, nós vamos estar aqui sempre realizando vários cursos, temas de estudos e palestras para que nós possamos cada vez nos aprimorarmos e melhorarmos dentro da nossa caminhada.

8) FJ: A senhora acredita que há uma diferença de função do TEO comparando o seu início e o momento atual?
FB: Não acho que há uma diferença de função. Eu acho que desde sempre a função do TEO foi direcionar as pessoas, ou para ficar aqui ou para seguir seus caminhos. É claro que modificamos algumas coisas no sentido de formas de fazer, para que possa melhorar a própria vibração da casa, mas em termos de direcionamento, de orientação, acredito que tenhamos firmado bem e tenha ficado da mesma forma desde o começo, apesar da nossa mãe dar sempre a orientação para que possamos melhorar. Mas, para mim, sempre foi e sempre será dessa forma.

9) FJ: O que a senhora espera do futuro da casa? Almeja alguma coisa ou trabalhos específicos?
FB: Nós esperamos sempre poder auxiliar cada vez mais as pessoas que aqui vem em busca de ajuda e os próprios irmãos e filhos da casa, para que possamos ter sempre condições de estar dando direcionamento para estas pessoas.

Mãe Flávia incorporada com a Cabocla Jurema da Praia na festa de 10 anos da casa.

Realmente, dirigir uma casa espiritual não deve ser nada fácil. Contudo, como D. Flávia Barros cita, basta ser obediente e cumprir com tudo aquilo para o qual a espiritualidade nos direciona.
Esta coluna deseja que o Templo Estrela do Oriente possa abrilhantar muitos e muitos anos a mente e o coração das pessoas através da prática da caridade e do amor.
Parabéns, Flávia e Luis Fernando Barros! Vocês são pessoas abençoadas!
Parabéns, Templo Estrela do Oriente e toda a cúpula espiritual da casa! Todos nós os agradeceremos sempre!

Que Oxalá nos guie!
Saravá!