Sejam bem-vindos à primeira edição da Turminha da Teresinha

Nesta primeira edição, vamos apresentar para os pais e responsáveis toda a proposta abordada pela equipe de evangelização, com o objetivo de desmistificar a nossa querida Umbanda, rompendo as barreiras do preconceito.

O projeto da Evangelização nasceu através da determinação da Teresinha da Praia, entidade de trabalho na linha da Ibejada de nossa dirigente Flávia Barros, visando ensinar às crianças noções referente ao espiritualismo e a Umbanda em geral. Com uma abordagem divertida e descontraída, mas com seriedade e respeito, buscamos transmitir todos os valores éticos e morais para que as nossas crianças cresçam com uma base de respeito e amor ao próximo independente do seguimento religioso que escolham caminhar no futuro.

Este trabalho é de extrema importância também para a desmistificação de nossa Umbanda, pois como exemplos veem católicos conversando sobre a missa, evangélicos conversando sobre o culto, mas raramente vemos umbandistas falarem em público sobre a gira. E isto vai causando em nossos pequeninos uma cultura de que estão fazendo algo de errado se não tratamos com naturalidade.

É gratificante ver nossas crianças na sala da evangelização falando que conversaram com seus amiguinhos e amiguinhas de escola sobre Umbanda e isso ajuda a quebrar as barreiras do preconceito que na maioria das vezes nós adultos somos os grandes culpados por nos “envergonharmos” de uma religião que prega o amor.

“Mas como faço para matricular minha criança? Qual o dia da semana e qual o horário da evangelização”. É bem simples responder a estas dúvidas:
Nosso trabalho de evangelização é realizado todas as segundas-feiras, dias de gira, a partir das 19 horas e 30 minutos e tendo seu encerramento às 22 horas. Para inscrever sua criança basta comparecer à secretaria do Templo Estrela do Oriente e preencher a ficha de cadastro onde será confeccionado um crachá de identificação da criança. O trabalho realizado é totalmente gratuito e pedimos apenas aos pais ou responsáveis que a criança tenha no máximo 3 faltas durante o ano, caso contrário, o(a) responsável deverá conversar com os evangelizadores justificando as faltas.

Encerramos esta primeira matéria fazendo um pedido aos pais. Orem com seus filhos e filhas, reforcem a importância da família que hoje está se tornando algo descartável. E gostaríamos de deixar uma frase que diz mais ou menos assim: “Os pais que criam seus filhos em uma religião dificilmente irão buscá-los em uma porta de um presídio”.

Que a luz de nosso pai Oxalá se faça presente em vossos lares!